Neste dia 7 as luzes do Congresso Nacional serão laranja para homenagear o mês de prevenção ao câncer de pele, campanha que começou em 2014 por iniciativa da Sociedade Brasileira de Dermatologia. Com o tema “Não espere até sentir na pele” a campanha do Dezembro Laranja quer chamar atenção para esse tipo de câncer que é o mais incidente no Brasil, com cerca de 180 mil novos casos por ano, com destaque para as regiões Sul e Sudeste, que concentram cerca de 70% da incidência.

A campanha reforça a necessidade da população buscar atendimento regular de um dermatologista que possa checar de tempos em tempos se a pele apresenta alguma lesão suspeita. A melhor forma de prevenção ao câncer é evitar a exposição ao sol entre 10h e 16h e usar protetor solar, roupas que protegem o corpo e sombrinhas. A doença é provocada pelo crescimento anormal e descontrolado das células que compõem a pele. O câncer da pele pode se assemelhar a pintas, então conhecer bem a pele e saber em quais regiões existem sinais, faz toda a diferença na hora de detectar qualquer irregularidade.

Renato Marchiori Bakos, coordenador do Departamento de Oncologia Cutânea da Sociedade Brasileira de Dermatologia relata que, mesmo com diâmetros assimétricos, que vão mudando de tamanho, além de terem cores variando entre claras e escuras, essas lesões, muitas vezes, não são perceptíveis por estarem na sua fase inicial. O especialista destaca que essas lesões, que caracterizam o câncer de pele, são fruto do acúmulo de exposição aos raios solares ao longo da vida, especialmente na forma que causa a vermelhidão ou queimaduras solares. Quando a doença é diagnosticada no início, as chances de cura chegam a 90%

Todos precisam usar protetor solar, independentemente da cor da pele. Cada tipo de pele requer um cuidado especial, mas todas precisam de proteção. Busque o protetor ideal para o seu fototipo, mas jamais deixe de aplicar o protetor solar.

ALIMENTOS BENÉFICOS.

Incluir determinados ingredientes no cardápio pode ajudar a proteger a pele de dentro para fora. Certos alimentos podem ser aliados na prevenção de danos causados pelo sol e pela poluição. Os mecanismos de atuação desses alimentos envolvem a  ativação e inibição de vias relacionadas com a integridade da pele, desde a barreira até camadas mais profundas, permitindo o equilíbrio do seu funcionamento para se manter saudável”, explica a nutricionista e consultora da Jasmine Alimentos, Adriana Zanardo. 

Os fitoquímicos são agentes antioxidantes, ou seja, substâncias que conferem pigmentos de cor aos alimentos e proporcionam diversos benefícios para o organismo. Esses nutrientes estão presentes, principalmente, em alimentos à base de plantas e são ingredientes ativos com propriedades capazes de reduzir a inflamação causada por estressores ambientais, como a radiação ultravioleta (RUV).

Os fitoquímicos são divididos em duas categorias: polifenóis e não fenólicos.

As fontes naturais de polifenóis incluem frutas como maçã, melancia, goiaba, uva, laranja, limão, cerejas, morangos e romã. Também são possíveis de serem encontrados em vegetais como soja, cereais integrais e cacau. “Outros alimentos que contém polifenóis são: café, abacate, chá verde, linhaça e alimentos vermelhos arroxeados, como uva, ameixa, cereja. Entre os fitoquímicos não fenólicos, destacam-se os carotenoides, presentes em alimentos amarelos alaranjados, a cafeína e os sulforafanos, encontrados em brócolis, couve-flor, espinafre, couve, entre outros. Prato colorido é saúde: todas as refeições devem ter cores mais vivas, como verde-escuro (brócolis e couve), vermelho (tomate e morango), roxo (uva e beterraba), laranja (abóbora e mamão) e amarelo (laranja e maracujá).

Para emergências:        +55 21 3262-0100